segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

caixa do correio - parte II

.
Ora bem, como começar?...
Eu sou muito apegada as minhas coisas. Digo muitas vezes: "prefiro que me tirem dinheiro, a tirarem-me coisas minhas". Fico mesmo muito triste se perco alguma coisa que me pertence. Então livros, nem imaginam como fico!!! Aliás, deixei de emprestar livros, filmes, e música, por isso mesmo. Deixei de os ver! O "emprestar" é muitas vezes interpretado por "empresta-dar". Já fiquei sem alguns (muitos alguns) livros e Cds. Enfim...
Mas agora falando do que me aconteceu a semana passada. Ainda não tinha falado nisso porque fiquei triste e não sei se seria de bom tom explicar aqui. Mas acho que devo.
Mais uma vez a caixa do correio...
A minha mãe enviou-me umas revistas e um livro, que eu lhe havia pedido. Não registou o envelope, pois não achou que fosse necessário (tratavam-se de revistas e de um pequeno livro em espanhol).
Quando o M. foi à nossa caixa do correio, o envelope estava aberto, de uma ponta a outra, com as revistas mas sem o livro. Pensou ele que estava tudo, e que o envelope tinha sido aberto pela alfandega, para verificação postal. Mas não. Não foi isso.
Fiquei pior do que estragada! Não pude reclamar, pois não era correio registado.
Sim, fui roubada! Assaltaram-nos a caixa do correio! É isso mesmo que aconteceu!
Nunca tal me aconteceu em Portugal.

10 comentários:

Maria Inês disse...

Estupores!

Eduarda Magalhães disse...

Pois são!!! Grrrrr!!!!

maria disse...

Afinal nem tudo é mau na Noruega LOOOOL ;)

Contenta-te com esta Eduarda:

Há 2 semanas foram à cx de correio do condpmínio do meu prédio (sem chave nem arrombamento) , sacaram o novo cartão multibanco do dito condomínio, enviado pelo banco (dentro de envelope, presumo) e fizeram levantamentos no valor de 1900 €!!!
...e olha que não moro no Cerco (sem preconceito)

Aahh, o pin não acompanhava o cartão...era o de sempre

* maria

Gabriel Reis disse...

Bem, parece-me uma hístória de estranha essa do cartão do multibanco, sem código, só alguem da administração ou familiar, poderia ter acesso a esse código, e tambem ter uma cópia das chave da caixa do correio do condomínio. Ou seja "alguem" pertencente ou fazendo parte da administração anterior fez um desfalque. parece demasiado óbvio, mas saber um código anterior e ter a chave e prever que viria um cartão, parece-me um " inside job" de um "filho" com problemas de toxicodependencia".
Não?(Ikke?)

Gabriel Reis disse...

quanto ao caso da Eduarda, parece-me que se foi envelope, rasga-se com muita facilidade, senão for reforçado, pois o livro por ser pesado, rasga facilmente o envelope, se derem o tratamento dito "normal" de envio onde as encomendas postais sofrem mesmo " os que manuseiam os correios não querem saber se é esferovite ou vidro é tudo igual ao litro, é com cada porradão...nem imaginam eu já trabalhei numa unidade de investigação que na altura seguiam algumas encomendas postais suspeitas, ditas "especiais" e vi como infiltrado as coisas funcionavam, a taxas de furto são muito baixas, perdiam-se ás vezes coisas, não por causa dos furtos mas pelo tratamento que levavam, ficavam caídos numa área do aeroporto ou num porão do avião,e quando se encontrava, já estava a milhas da encomenda correspondente.
Por isso se acharem que é importante o correio, registem-no ou então senão for reforçado é um tiro no escuro.

Eduarda Magalhães disse...

Pois, Gabriel, eu sei que poderá ter-se rasgado, mas não me parece que seja o caso. O livro não era pesado, nada pesado. E o rasgão no envelope parece mesmo de quem abriu propositadamente.

maria disse...

Pois é... a classe média aqui já está muuito abaixo da média!
A "história estranha" não ilustra um caso de um "filho" com problemas de toxicodependencia", nem sequer vandalismo.
Quanto ao " inside job", elementar caro Watson!

Assim vai este país...

ei! kumpel disse...

Bastards!!!

Que lata! bem pelo menos roubam livros, é sinal que são cultos :P

A única solução nesse casa é a tua mãe enviar em correio registado com aviso de recepção, porque assim o carteiro não pode deixar na caixa, algém tem que assinar (ou levantar nos correios). No entanto tenho as minhas dúvidas que funcione no estrangeiro...

Anónimo disse...

Viva Eduarda...


Fiquei triste com este post. Amo livros e ficaria desolada se tal me acontecesse!

Cá para mim foi o teu "amigo" que ficou com a caixa destruída... enfim. Gente com bolsos cheios de dinheiro, (e endividados até ao pescoço se for preciso), mas pequenina de mentalidade... felizmente que não são todos assim (nem tal coisa podia ser!)

Hoje "deu-me" para vir aqui e agora já descobri o porquê... precisava de falar contigo com alguma urgência!


Beijoca grande,

M.J. e J. (Stord)

Marshmallow disse...

Também já me aconteceu receber uma encomenda registada pela minha mãe que vinha bastante mal tratada! Apartir daí ela passou a reforçar com fita adesiva extra forte e nunca mais isso aconteceu.