terça-feira, 21 de outubro de 2008

pensamento para hoje

.
Alegrar-se com o bem dos outros é um princípio de felicidade em que nos temos de educar. Incomoda um  mundo de "bota-abaixo", que não sabe ver nem alegrar-se com o bem alheio. É já grande coisa entristecer-se e doer-se com o sofrimento do amigo, e quase todos somos capazes disso. Outra coisa é alegrar-se com o bem do próximo - isso é grandeza de alma!

Vasco Pinto de Magalhães, Não Há Soluções, Há Caminhos.

E porque coloco eu aqui o pensamento para hoje, dia 21 de Outubro do livro Não Há Soluções, Há Caminhos?(perguntam voçês)
Porque eu tenho este livro (há já uns anos) e quero aqui partilha-lo por ser um livro cheio de bons pensamentos para todos os dias do ano. 365 dias, 365 pensamentos. Para meditar e reflectir. Um livro para ler e reler vezes sem conta.
Vasco Pinto de Magalhães, para quem não sabe, é um padre jesuíta que começou por estudar engenharia mas acabou por se licenciar em Filosofia e depois, em Teologia, em Roma. O padre Vasco é um Mestre da palavra, um comunicador por excelência (que tenho a sorte de conhecer).
Agora que estou longe, sinto um pouco a falta de o ouvir. De vez enquando ia assistir as suas palestras no CREU (perto da casa dos meus pais). É uma pessoa contagiante.


5 comentários:

ei! kumpel disse...

gostei do excerto...

cada vez que vou ao site do Público e leio aqueles comentários percebo bem o quanto o nosso país está mergulhado na filosofia do "bota-abaixo"... triste, muito triste!

*margarida

PsiPages disse...

Gostei muito!! Obrigada por partilhares este bonito pensamento.
Beijinhos

Marshmallow disse...

As saudades que eu tenho de ler um bom livro, em português.

" Two roads converged in a wood,
and I--
I took the one less traveled by,
And that has made all the difference"

The Road Not Taken
Robert Frost


Bjinhos

Cátia O. disse...

Como diz o senhor da RFM (acho que é da RFM!?!), depois de ler o pensamento do dia, já agora vale a pena pensar nisto...;)
Gostei muito, mas vou "estragar" este momento filosófico, com uma anedota. ;)

Aqui vai:

A história do Capuchinho Vermelho, adaptada aos nossos dias...

Ia o Capuchinho Vermelho muito contente, a saltitar pela floresta quando, de repente, o Lobo Mau salta detrás de um arbusto e grita:

- Aaahhhh! Isto é um assalto! Passa para cá o dinheiro, os cartões, o telemóvel...

O Capuchinho não se deixa intimidar e muito indignado,responde :

- Nã, nã, meu menino! Tu vais é comer-me, que é o que está escrito no guião! Depois arranjo-te umas moeditas...

;D

Moral da história: improvisar é bom, mas devemos respeitar o que está escrito nos guiões. Há que respeitar a tradição...

Beijinhos.

Eduarda Magalhães disse...

Obrigado a todas pelos vossos comentários.

marshmallow: bonita frase. :)